22 – O início do Fim

21 – Quatro pessoas em Uma Só
27 de dezembro de 2017
23 – Uma mentira, próxima da verdade
27 de dezembro de 2017
Show all

22 – O início do Fim

Camapanha: Ajudem Zorg a ter um rosto! MC sem imagem não é MC, está esperando o quê? Venha ajudar você também! (Por favorzinho)

Além disso, caso consigamos o dinheiro para a arte do MC, o projeto irá continuar para fazermos as artes dos demais personagens principais como Azemir, Zafiryel, Popurou e outros mais!

Atenção! Esta não é uma campanha mensal! E sim uma campanha com prazo determinado, onde todos vocês contribuirão apenas uma única vez, e sabem o que vocês ganham com isso?

A imagem original do MC + a de todos os personagens que forem criados através desta campanha em HD direto no seu e-mail!

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajudem-zorg-a-ter-um-rosto

Assim que o olho se abriu por completo, uma criatura comprida, totalmente negra, com espessura de dois dedos, sem olhos e com dentes compridos e afiados começou a sair de sua pupila, contorcendo-se em direção a nuca de Zorg:

— UÁÁÁÁÁÁÁH!

— MAS QUE PORRA É ESSA?! — Gritou Zorg enquanto pulava do trono.

— Que porra o quê? Sou eu popurou. Volta aqui e deixa eu morder a sua nuca popurou.

— M-morder a minha nuca?! Que merda é essa que você está fazendo?! — Exclamou Zorg assustado.

— Não torna isso mais difícil do que já é, popurou. Eu preferiria mil vezes chupar a nuca de sua mãe do que a sua, mas quem é o meu mestre é você. Vai querer fazer a conexão com os pilares ou não popurou?

Zorg ainda encarava Popurou com uma cara repulsiva mas, por fim, acabou voltando para o trono.

— Droga, que situação estranha… Isso vai doer? — Perguntou Zorg.

— Cale a boca e apenas se concentre nos Shaktis elementais. — Disse Popurou.

Sem aviso prévio, Popurou penetrou a nuca de Zorg com seus dentes compridos e afiados, começando a sugar seu Shakti. Logo em seguida, uma ressonância começou a ser emitida pelos pedestais da Terra, Luz e Trovão Primordiais. Diversos símbolos começaram a aparecer ao redor de cada pedestal, e uma formação começou a aparecer no solo.

— AAAAAARRRRRGGGGGHHHHH! — Gritou Zorg Profundamente, seus olhos estavam totalmente negros e um texto começou a ressoar em sua mente:

Vazio…

O verdadeiro vazio, se encontra sempre cheio…

Nada pode escapar de seu domínio…

Vida, morte, luz, trevas e caos…

Os pilares da criação…

Aquele que domina o vazio, domina tudo…

O vazio é único, e único tem de ser o seu dominador…

 

Assim que o texto acabou, todo o corpo de Zorg começou a pulsar. A mesma formação que apareceu no solo do castelo sob os pedestais e Zorg, apareceu abaixo do verdadeiro corpo de Zorg, onde ele estava sentado de pernas cruzadas. Os Shaktis da Terra, Luz e Trovão começaram a se materializar e girar em espiral ao redor de Zorg, pela borda da formação.

— O que é isso? TODOS VOCÊS, PAREM! — Gritou Azemir.

— O que diabos está acontecendo aqui?! Como é possível ter três elementos girando ao redor dele?! — Exclamou Aldebaran. Ele estava tão surpreso quanto assustado, ele podia sentir que o Shakti da Terra que emanava de Zorg era tão puro quanto o dele.

— Isso é um segredo que cabe a ele contar, não a nós. — Respondeu Agláxis.

— (Que tipo de poder é esse? E por que alguém assim, iria querer algo conosco?). — Pensou Aldebaran. Sem que ele percebesse, uma espécie de medo e insegurança começara a crescer em seu coração.

Quanto mais o tempo se passava, os Shaktis que orbitavam Zorg se tornavam mais densos e violentos. Até que, em determinado momento, houve uma explosão sonora e o solo abaixo de Zorg se alterava lentamente. O corpo de Zorg era erguido junto ao solo, que se elevava a cinquenta e três metros de altura, o que fez a atmosfera ao redor ficar cada vez mais pesada. No Núcleo da Alma de Zorg, também ocorriam mudanças constantes.

Montanhas e vales começavam a se formar em uma nova área revelada em seu Núcleo da Alma. O pequeno rio, que antes era um riacho, havia se tornado em um grande e vasto rio de cristais, com fortes correntezas que eram líquidas e sólidas ao mesmo tempo, algo que ia além da compreensão humana, era realmente de encher os olhos .

Sobre as árvores que cortavam os céus, densas nuvens negras formaram-se sobre suas copas, e milhares de raios eram descarregados constantemente contra as árvores. Entretanto, elas não sofriam o mínimo de dano.

Os pedestais ressoavam e pulsavam loucamente, cada um na sua cor correspondente. De repente, um feixe de luz azul azure saiu do Pedestal do Trovão Primordial, cortando o céu do Núcleo da Alma de Zorg, essa mesma luz sai de seu corpo penetrando o céu infinito acima da Província Leão Azure. Apesar de ainda ser de manhã, todo o céu se escureceu e uma fera alada gigantesca, totalmente negra, começou a se materializar. A criatura não era real, era apenas uma visão etérea do que ela já fora um dia. Sua aura era majestosa e incomensurável, ela permanecia imóvel, com suas asas abertas enquanto uma aura roxa emanava de seu corpo e raios roxos estalavam ao seu redor. Seu olhar era de pura soberania.

Logo em seguida, assim como o Pedestal do Trovão, o Pedestal da Terra Primordial liberou um poderoso feixe de luz na cor marrom, atravessando o Núcleo da Alma de Zorg e cortando os céus da Província Leão Azure e, sob a asa esquerda da criatura alada, uma fera jamais vista em todo o continente tomou forma: era um quadrúpede, robusto, tão grande a ponto de a maior das montanhas do continente não passar de um pequeno amontoado de terra aos seus pés. Essa criatura emanava um poder capaz de destruir planetas e matar deuses. A força bruta que emanava deste ser, era absolutamente insana.

Uma fração de segundo depois, o Pedestal da Luz Primordial liberou um feixe de luz a uma velocidade incrível, extremamente superior aos dois anteriores, iluminando todo o céu uma vez escurecido. Enquanto o clarão se desvanecia, uma figura humanoide feminina começava a tomar forma sob a asa direita da criatura alada. Diferentemente das outras criaturas, essa emitia ao mesmo tempo um ar de santidade e profanidade. Qualquer um que olhasse para essa figura humanoide, sentiria vontade de fugir em desespero e de adorá-la ao mesmo tempo.

Assim que as três feras estavam juntas, a criatura da Terra e a do Trovão rugiram ferozmente enquanto a da Luz soltava uma leve e imponente risada. O som reverberou para além do continente de Wyzigun, não havia como saber até onde ele foi capaz de chegar.

Dois terços da população do continente desmaiaram apenas com a pressão emitida pelo som, restando apenas aqueles de nível mais avançado na manipulação do Shakti de pé. O caos se espalhou por toda a região. Futuramente, este dia seria conhecido como “O início do fim”.

— POR TODOS OS DEUSES SAGRADOS, QUE COISA É ESSA?!?!?!

— É O FIM DO MUNDO!!!

— AS BESTAS DO APOCALIPSE VIERAM FAZER O SEU JULGAMENTO! CORRAAAAAAAAM!

Pessoas de diversas partes do continente entraram no mais profundo desespero. Alguns familiares se abraçaram, outros fugiram, e os mais corajosos se preparavam para a batalha.

Como não sabiam do que se tratava, todas as Sete Famílias Guardiãs enviaram imediatamente os seus melhores homens em direção a Cidade Imperial para manterem o castelo da família real em segurança.

O Patriarca Leão Azure enviou quatro de seus principais Élderes para comandar uma pequena guarnição a fim de proteger o castelo real. Além disso, o próprio Patriarca se juntou com mais cinco Élderes para ir pessoalmente ao local onde, aparentemente, era o centro de todos os acontecimentos: O pátio da mansão do Terceiro Élder Leão Azure, Azemir.

Em Algum lugar na Fronteira da Província Leão Azure

 

— Mestre Naozaradan, o senhor está vendo isso?! — Exclamou um dos dois homens de preto restantes.

— Ora, ora. E tem como não ver? HAHAHAHAHAHAHA, realmente não existem coisas como coincidência neste mundo! Eu estar aqui justo hoje, com certeza, foi obra de algo maior! HAHAHAHAHAHAHA! — Naozaradan ria profundamente satisfeito.

— Senhor, devemos avisar aos nossos superiores. Com certeza era disso que eles estavam falando! — Disse o mesmo homem de preto. Este comentário fez a risada de Naozaradan cessar no mesmo instante:

— Humpf! Talvez não devamos avisar de imediato. Seria melhor investigarmos direito, para que não passemos a eles algum tipo de informação desnecessária. — Respondeu Naozaradan com uma feição séria em seu rosto. Tsung apenas observava a cena de forma imparcial.

— Mestre, eles foram bem claros quanto a isso. Se víssemos algo fora do comum e de grande magnitude, nós deveríamos avisá-los imediatamente! — Respondeu o outro homem de preto.

— Mas, ainda assim, eu acredito que seria melhor para TODOS NÓS, se cuidássemos disso sem reportar aos nossos superiores… Bom… Pelo menos… Por enquanto. — Disse Naozaradan com um olhar que demonstrava haver algo benéfico nas entrelinhas.

Os dois homens de preto se entreolharam, pelas suas feições pesadas, era possível perceber que eles haviam entendido as intenções de Naozaradan:

— Mestre, o senhor sabe muito bem o preço a se pagar pela traição. Não apenas morreremos, mas também toda a nossa linhagem será exterminada. É um risco alto demais para se arriscar. — Disse um dos Homens de preto.

— Sim… Heh, vocês estão certos. Onde eu estava com a cabeça? Me desculpem, devo admitir que vocês são ótimos subordinados. — Disse Naozaradan enquanto passava entre os dois homens de preto:

  • PUUU *

Naozaradan, com apenas um golpe, foi capaz de colocar todo o seu punho dentro do crânio dos dois homens de preto que restavam.

— (Estes homens… Eles estavam no Sétimo Nível do Domínio Espiritual. Como ele foi capaz de matá-los, com apenas um golpe?) — Pensou Tsung enquanto cerrava os olhos, analisando Naozaradan.

— Ai ai, odeio trabalhar com gente que tem a mente fechada. Acredito que você, Tsung, seja diferente. Não estou certo? Por que beneficiar os outros, quando nós é quem podemos ser os beneficiados? — Disse Naozaradan enquanto sacudia suas mãos, retirando o sangue.

 

Mansão do Terceiro Élder Leão Azure

 

— O QUE É ISSO?! QUE TIPO DE PODER É ESSE?! — Gritou Aldebaran enquanto olhava para as criaturas no céu.

— Isso é novidade para todos nós, estamos tão surpresos quanto você. — Respondeu Zafiryel.

— (Meu filho é foda pra caralho! Aaaahhh, pai… O senhor tinha de estar aqui!). — Pensou Azemir, enquanto uma única gota de lágrima que escapou de seu olho esquerdo escorria silenciosamente.

— Pai, ele vai mesmo ficar bem? — Perguntou Agláxis.

— Bom, isso tudo está vindo dele, não acredito que lhe fará mal.

— (Interessante… É tão parecido, mas ao mesmo tempo tão diferente! Não sei dizer o que é, apenas que é algo muito maior. Os níveis são completamente diferentes!). — Pensou Sayuri enquanto se vislumbrava com essa visão magnífica.

Logo em seguida, todo o Shakti começou a se concentrar no corpo de Zorg: 8º e 9º Nível do Domínio Físico. Zorg havia alcançado o ápice do primeiro domínio e estava prestes a fazer um avanço.

  • BANG! *

1º, 2º Nível do Domínio da Alma.

  • BANG! *

Uma forte explosão de luz se espalhou pelos céus, e as três criaturas desapareceram. Uma pombinha que passava pelo local, mal teve tempo de gritar “PRUUU” e caiu dura no chão, ela estava morta.

Assim como Popurou premeditou, Zorg alcançou um grande avanço, apenas fazendo a conexão completa com seus pedestais. Possuindo agora o que era equivalente a quatro Núcleos da Alma, a sua velocidade de crescimento era quatro vezes maior do que a de qualquer pessoa.

Mas não foi só isso o que mudou em Zorg: Por ter atingido o Domínio da Alma, seu corpo e mente também passaram por algumas mudanças. Seus ossos, que antes haviam se tornado marfim, dobraram a sua densidade, ficando muito mais resistentes. Ao entrar no Domínio da Alma, sua mente começou a ser refinada, seus neurônios passaram a se comunicar a uma velocidade mais elevada, e a oxidação de seu tecido cerebral foi desacelerada.

Quinze segundos.

Tudo o que aconteceu, todo este evento, não durou mais do que meros quinze segundos! Tanto a intensidade, quanto a velocidade deste acontecimento, foi motivo para trazer medo e insegurança ao coração de todos. Com exceção de Naozaradan, Zorg e sua família, mais ninguém sabia o que estava acontecendo.

Tudo se acalmou, e como que em um flash, Azemir voltou a realidade de seus pensamentos de forma preocupada:

— Droga! Não vai ter como escondermos isso! Aldebaran, desintegre este pilar e desça Zorg até aqui! — Disse Azemir angustiado.

— Sim, senhor! — Respondeu Aldebaran enquanto esticava sua mão direita. Com um único movimento, todo o pilar se transformou em pó. Enquanto Zorg caía, Azemir o pegou em seus braços.

— Ouçam bem: para todos os efeitos, nós estávamos treinando e Zorg do nada começou a passar mal, despertando o Shakti. Estamos entendidos? — Disse Azemir com um olhar severo e tenso. Ele estava realmente inseguro com o que aconteceria de agora em diante. Seu plano de manter tudo em segredo foi completamente por água a baixo.

Pouco tempo depois, enquanto todos ainda estavam no pátio acertando os pontos com Azemir, o Patriarca e mais cinco Élderes apareceram em frente ao portão da mansão.

— Pagamos respeito ao nosso Patriarca! Por favor, entre. — Disse um dos guardas que guardava o portão.

Ao entrarem, Zorg estava desacordado nos braços de seu pai, e o desconforto no rosto de cada um dos presentes era visível. A impressão que todos tiveram ao entrar era que aquela família definitivamente estava escondendo algo:

— O que está acontecendo aqui? — Perguntou o Patriarca de forma fria e direta.

— Essa é uma boa pergunta, nós também gostaríamos de sab…!

— Não me venha com essa de “boa pergunta”! Está claro que vocês estão tramando algo! Primeiro vocês desafiam o Patriarca diante de toda a cidade por causa desses dois escravos; e no dia seguinte, bem sobre o pátio de vocês, algo que poderia matar a todos nós, do nada aparece e desaparece! — Exclamou Menodor, interrompendo a resposta de Azemir.

Azemir apenas desferiu um olhar frio e cortante para Menodor, e continuou a falar:

— Como eu ia dizendo, senhor Patriarca, estamos tão perdidos quanto vocês com tudo o que acabara de acontecer. Tudo o que eu sei dizer, é que Agláxis e eu estávamos testando a força dos nossos novos escravos, quando que por um momento de descuido, Zorg foi atingido pelo Shakti desta garota. Foi aí que tudo começou. Ele caiu desacordado, mas logo em seguida começou a se contorcer. De uma forma tão estranha quanto possível, uma espécie estranha de Shakti começou a fluir do corpo de meu filho, e logo após aquelas estranhas figuras apareceram no céu.

— Não venha com merda para o nosso lado, Azemir! Está querendo dizer que esse mestiço de merda foi o causador de tudo isso? Alguém que nem foi capaz de despertar um simples Shakti a nove anos atrás? Besteira! — Disse Menodor de forma bem espalhafatosa.

Toda a face de Azemir se escureceu, sem dizer uma única palavra, ele foi até a sua esposa, entregou seu filho a ela, e começou a se mover em direção a Menodor, o Quarto Élder Leão Azure.

— Escuta aqui, Menodor: eu sei muito bem que você não gosta de mim porque eu não quis me casar com a baranga de sua irmã, mesmo sendo um pedido feito pessoalmente pelo seu próprio pai. E eu estou pouco me lixando para isso. Mas se você chamar meu filho de mestiço mais uma vez na minha frente, mesmo que o Patriarca esteja do seu lado, eu mato você!

Todo o corpo de Menodor estremeceu, sua segurança e imponência de poucos segundos atrás esvaíram-se. Essa foi a primeira vez que ele sentiu uma ameaça real vindo da parte de Azemir, o poder que exalava de seu corpo era violento e frio, de uma forma que ele nunca havia visto antes.

— Basta! — Gritou o Patriarca.

— Quanta insolência! Como ousa falar assim na minha presença, Azemir? Já não basta os acontecimentos de ontem, agora isso? Talvez quem esteja cortejando a morte aqui seja você. — Disse o Patriarca de forma firme e autoritária.

— E quanto a você, Menodor, a menos que queira perder o seu posto ou ser rebaixado, não fale mais por mim! Já está mais do que na hora de você aprender a não deixar que rancores pessoais interfiram no seu julgamento. Olhe para aquele garoto, qualquer idiota consegue sentir o Shakti fluindo em seu corpo!

Menodor e os outros quatro Élderes direcionaram a sua atenção até Zorg e, para a surpresa geral, ele não só havia despertado, como já estava no 2º Nível do Domínio da Alma.

— Como isso é possível, senhor Patriarca? Todos nós vimos este garoto há nove anos ser incapaz de despertar o Shakti. Como que, além de despertar, ele já se encontra em tal nível?! — Disse o Décimo Segundo Élder.

— Eu também não sei, Kilian, mas até descobrirmos, é melhor mantermos isso em segredo. Com a magnitude desse acontecimento, é bem provável que especialistas de outras famílias venham até nós. Se algum deles descobrir que isso foi causado por um membro de nossa família, teremos sérios problemas. Sendo algo dele ou não, o poder que foi liberado por causa deste garoto foi grande demais. Principalmente se a primeira Família descobrir, estaremos correndo grande perigo.

— Sim, Patriarca, entendemos a situação. Cuidaremos para que este assunto permaneça em segredo! — Responderam os cinco Élderes em uníssono.

— Quanto a vocês, eu quero todos, sem exceção, na minha casa agora! Peguem o que acharem necessário, vamos partir nesse exato momento. — Disse o Patriarca para todos da família de Zorg.

— (Droga! Isso não é nada bom…) — Pensou Azemir.


 

Colabore para que O Sétimo Zorgnatron tenha capítulos diários!

Acesse https://www.padrim.com.br/zorgnatron e obtenha mais informações.

 

Não se esqueça também de curtir a nossa página no Face!

https://www.facebook.com/osetimozorgnatron/

 

E por último, não deixe de comentar sobre o capítulo!

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: